A história de Madre Anastasie começa no dia 17 de novembro de 1833, em Compeyre, na França, com o nascimento de Alexandrine Conduché.

Desde pequena, Alexandrine demonstrou grande interesse por conhecer a vida dos santos e passava longas horas lendo para entender os desafios enfrentados por eles e também suas virtudes. 

Seu tio, Artières, padre em Tizac, reconhecendo as potencialidades da sobrinha, conversou com seus pais e convidou-a para mudar-se para Tizac. 

O padre reconhecia a inteligência, a generosidade e o cuidado que Alexandrine tinha com as pessoas. Logo que completou 14 anos ele lhe propôs abrir uma sala de aula para ensinar as crianças pobres daquele vilarejo e ela aceitou com muita felicidade.

Quando sentiu o chamado do Senhor para sua vocação, Alexandrine foi estudar no Convento de Notre Dame, junto com Virgine  uma sobrinha do padre Gavalda, do vilarejo vizinho, chamado Bor.

Quando receberam o hábito religioso, Virginie se tornou Irmã Marie Joseph e Alexandrine, Irmã Marie Anastasie.

Voltaram a Born e junto às orações e a grande vontade do padre Gavalda, fundaram a Congregação das Irmãs Dominicanas de Nossa Senhora do Rosário em 30 de março de 1850.

Irmã Marie Joseph tinha 24 anos foi nomeada como Superiora e Irmã Anastasie tinha 17 anos foi nomeada como Mestra de Noviças.

Madre Anastasie tinha 29 anos quando Irmã Joseph deixou a vida religiosa e ela assumiu como Superiora da Congregação.

Em 1875, Madre Anastasie filiou sua Congregação à Ordem dos Pregadores, os  Dominicanos, pois se identificava com o carisma e os princípios que orientavam a prática educadora de sua instituição.

São Domingos, assim como ela, tinha o estudo direcionado à busca da verdade, era movido por compaixão, generosidade, amor, respeito à dignidade humana e se identificava com os mais pobres.

A reputação das Irmãs vinha também da competência profissional, indispensável, exigida por Anastasie. Não foi somente no campo do ensino, atividade principal, mas foram marcadas por uma grande abertura social, e preparadas para a assistência aos enfermos, que realizavam através de visitas às famílias. O convento estava sempre aberto para acolher.

Sua confiança sem limites na Providência Divina, desperta em Anastasie a necessidade de partir para novas fundações. Primeiro passo é Monteils, depois partem para países vizinhos como: Itália, Bélgica, Bulgária e Espanha.

Em 21 de abril de 1878, morre Madre Anastasie, quando iria completar 45 anos, mas a morte não interrompeu sua obra.

Em 1885 a Congregação, após algumas hesitações, providências e preparativos, sentiu-se bastante forte para atravessar o Atlântico, a pedido da Ordem Dominicana, e se implantar no Brasil. Foi um primeiro grupo, de seis Irmãs, que se instalou em Uberaba. As Irmãs foram residir na Antiga Santa Casa de Misericórdia, onde funcionou o Convento e o Colégio, sob a proteção de Nossa Senhora das Dores.